Notícias de Última Hora
inicio / Mobilidade Urbana / Ciclistas reclamam que as ciclovias sofrem ‘retrocesso’

Ciclistas reclamam que as ciclovias sofrem ‘retrocesso’

A crítica da Mobicidade (Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta) ao traçado previsto pela EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação) para a ciclovia da avenida Goethe é o marco de  uma mudança de rumo. Há uma semana, a Mobicidade  divulgou um texto no qual questionava as trocas de lado do trajeto e sua continuidade sobre calçadas, em vez  de permanecer no leito da rua. A partir de então, a associação deixou de considerar que a nova gestão municipal parecia ter posições “estagnadas” sobre o modal cicloviário. Para a Mobicidade,  está claro que já está havendo “retrocesso”.

Representante da Mobicidade, André Gomide diz que será preciso mudar de atitude com a prefeitura, a partir de agora. “Vamos ter de voltar a encarar a prefeitura. Não há tais estagnação, há retrocesso. Quero ver como vão explicar isso aos ciclistas”, afirma.

As causas do retrocesso, além dos pontos controversos do projeto da ciclovia da Goethe, passam pela inexistência de mais obras para construção de ciclovias na cidade.

Gomide cita os traçados da Barros Cassal e da Nilo Peçanha como projetos que não têm avançado. Gomide também questiona a repavimentação em vias como a própria  carros Cassal e na região da avenida Juscelino Kubitschek. Segundo ele, as ciclovias desses locais tiveram trechos desmanchados e há dúvida entre os ciclistas se serão refeitas. É um temor de que se repitam casos como os ocorridos em São Paulo, em que partes de ciclovias foram desmanchadas para recapeamento – o prefeito paulistano,  João Doria, é do mesmo partido do seu colega de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr., o PSDB.

Ontem, ciclistas reclamaram não ter sido recebidos pela EPTC para tratar de outro assunto que preocupa, as mudanças viárias previstas para a avenida Osvaldo Aranha.  De acordo com a Mobicidade, a velocidade máxima na via poderia aumentar para 60 km/h.

A EPTC rebate a informação, garantindo que a possibilidade é justamente o contrário, de que o limite caia. “Não estão falando com a gente. Antigamente, pelo menos havia um canal de diálogo. Tenho receio até de que queiram alterar o Plano Cicloviário”, ressaltaGomide.

Cerca de O Ciclista

Ex ciclista Profissional,Bicicross,b m x,onde tive grande experiência em pistas( Vice - Campeão Brasileiro S n a c k M T B X treme junho de 1999 marinha Poa/Rs), 3º Colocado taça Caloi M e s b la do Brasil(Bicicross).Ando até hoje, pedalando nas vias Públicas,ou treinando, ou por trasporte.Sou representante da A C Z S (Associação dos ciclistas da Zona Sul).E responsável do Movimento e da Comunidade Facebook/ Respeiteocclistapoa. sem mais.