Notícias de Última Hora
inicio / FILOSOFIA / POESIA ( Mares do Sul )

POESIA ( Mares do Sul )

                                                                            MARES DO MEU RIO GRANDE:

                                                                              é bem possível amá-los

se não compará-los !

As ondas parecem correr

ora em retouço,ora em combate.

                                                                          E, quando batem á praia,

                                                                             têm a cor dos chocolates.

                                                                          Se acaso as águas são claras.

                                                                            por feitos da lua cheia, 

     dançamos um mar de espumas,

                                                                            viramos cambotas de areia.

                                                                           Ao desenhar nossas praias,

                                                                              teve o Senhor curto lapso:

                                                                              trouxe o lápis e a régua,

                                                                              mas  se esqueci do compasso.

                                                                             Sim, são praias retilíneas 

                                         de frequentes água turvas.

                                                                             No corpo das veranistas,

                                                                                alojam-se todas as curvas.

Obtém melhor paisagem

quem foca de outra raia:

não olha da terra para o mar

   

Mar...
Poesia do nosso litoral Gaúcho.

e sim do mar para a praia.

Vêm no mar das tradições

os Cavaleiros da Paz.

Nas tendas,um bom churrasco.

e deixam-se os peixes em paz.

Milhões de carros na estrada

com a sinaleira escarlate.

Romaria de quem volta,

e  Procissão de quem parte.

A cada verão, cá estamos.

E não nos sentimos sós.

É a praia de nossos filhos,

o mar de nossos avós.

Se quisermos ser exatos,

quer desfilando ou de bruços,

não há mulheres mais lindas

que as do litoral gaúcho.

Mares do meu Rio Grande:

é bem possível amá-los,

se não compará-los!

 

LUIZ CORONEL

 

 

                     

 

   

.

 

Cerca de Swammi Benevenutto

Sou monge tibetano-cristão-budista-universalista-ecumênico, discípulo do Lama Botswuamma. Ainda sou poeta, escritor, Técnico em Contabilidade desempregado, cidadão, voluntário em escola pública, ex-jardineiro, ex-servente de obra, ex-securitário, ex-bancário, ex-apicultor, ex-feirante, ex-caseiro, ex-reciclador de sucatas, ex-militante e fundador anonimo do PT/RS, do qual fui Assessor de Bancada e Caixa Executivo; ex-acadêmico de Ciências Atuariais na UFRGS. SOCIALISTA e AMBIENTALISTA desde que nasci. MATERIALISTA-DIALÉTICO desde que aprendi a ler e escrever. COLORADO "Papa-tudo" desde 1909 ( meu avô tinha 7 anos ). Sou ECUMENISTA. PACIFISTA e amante da vida em contato permanente com a natureza em toda sua exuberância; plantador anonimo de árvores nativas frutíferas na orla da praia de Ipanema/POA e cultivador de mudas das mesmas. Acredito que o ser humano foi feito "PRA BRILHAR, NÃO PRA MORRER DE FOME".